Quarta, 26 de Janeiro de 2022 21:14
(99) 98133-6017
Policial ABORTO ILEGAL

Justiça concede medida protetiva à vítima de aborto praticado pelo prefeito de Carolina, Dr. Erivelton

Caso descumpra decisão judicial, Erivelton Neves pode ser preso.

21/10/2021 17h48 Atualizada há 3 meses
Por: Angra Nascimento
Justiça concede medida protetiva à vítima de aborto praticado pelo prefeito de Carolina, Dr. Erivelton

CAROLINA – O Ministério Público do Tocantins opinou favoravelmente e a Justiça Estadual concedeu medida protetiva a Rafaela Maria Sousa dos Santos, de 32 anos, vítima de aborto ilegal sem o seu consentimento, realizado pelo próprio pai biológico, o prefeito de Carolina, Erivelton Teixeira Neves.

A decretação da medida protetiva em favor de Rafaela Maria adverte o prefeito de Carolina sobre a decretação de sua prisão caso ele não cumpra a decisão da justiça.

Veja aqui a decisão judicial

Entre as medidas, Erivelton Neves fica proibido de se aproximar da vítima, seus familiares e testemunhas, no limite mínimo de 100 metros – ainda que seja em local público. 

O prefeito de Carolina fica proibido de manter contato com Rafaela Maria, seus familiares e testemunhas do caso. Erivelton Neves fica proibido ainda de frequentar ambientes particulares em que a vítima esteja frequentando, além de seu local de trabalho.

O prefeitão de Carolina, que é defensor da família no melhor estilo bolsonarista, é acusado de dopar Rafaela Maria e praticar um aborto sem seu consentimento. O caso aconteceu em dezembro de 2017. Na época, a vítima registrou um Boletim de Ocorrência nº 77493 E/2017 na Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher de Augustinópolis (TO).

Após o triste episódio, Rafaela, que sofreu diversas ameaças, teve que ir embora do país e há quatro anos luta na justiça para que o prefeito pague pelo bárbaro crime que cometeu. Porém, por ter foto privilegiado, Erivelton segue impune. 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.